A expansão de um negócio é um dos momentos mais esperados por qualquer empreendedor, podendo ser através de filial e franquia. Aquela hora em que seu negócio finalmente dá certo, o lucro começa a entrar e as portas se abrem a sua frente é, com certeza, um dos melhores momentos.

Mas nesse momento surge a grande dúvida: devo abrir uma filial ou uma franquia para o meu negócio? Qual o melhor modelo para expandir e correr os menores riscos possíveis?

Em ambas as estratégias existem vantagens e desvantagens e o empreendedor precisa considerar todos esses pontos. As franquias não servem para todo o tipo de negócio, do mesmo modo que as filiais podem custar caro à empresa.

É preciso analisar todos os aspectos dessa expansão e, só depois, fazer a sua escolha. Veja neste post as diferenças entre filial e franquia. Acompanhe também algumas dicas para fazer o seu negócio crescer do modo correto e sem imprevistos. Confira!

Qual a diferença entre filial e franquia?

Filial é uma sede de uma empresa que pertence a marca, ou seja, seus ganhos e perdas fazem parte do balanço financeiro da matriz. Se a nova loja dá lucro, o negócio cresce. Agora se há prejuízo em determinado período, a matriz se responsabiliza pelas perdas.

A filial deve ter seus próprios líderes, gestores e supervisores. Contudo, ela responde diretamente a matriz e aos diretores gerais da companhia, que decidem pela continuação ou não da existência dessa loja.

Em alguns casos, matriz e filial podem compartilhar departamentos também. Um exemplo é quando as contratações de funcionários ficam a encargo da matriz, mesmo que os novos colaboradores atuem nas filiais.

Já uma franquia é uma sede da marca, que possui o investimento de terceiros para dar certo. Os empreendedores, também chamados de franqueados, é que ajudam a expandir o negócio. Essas pessoas investem tempo, mão de obra e o próprio dinheiro para financiar o crescimento da sua marca.

A maior diferença entre esses dois modelos de expansão é a separação financeira que, no caso das franquias, é completamente independente. O franqueado deve pagar apenas as taxas de Royalties sobre o faturamento e o restante fica para ele reinvestir em sua loja e pró labore.

A gestão separada também é outra característica das franquias. O franqueador presta apoio ao franqueado, no entanto, cada loja da rede precisa cuidar de sua própria gestão e balanço financeiro. Isso também inclui a contratação de funcionários, compra e venda de mercadorias, entre outros aspectos da gestão.

Qual a melhor opção para o seu caso?

Agora que você já sabe a diferença entre filial e franquia, as perguntas que ficam são: qual é a melhor opção para minha empresa? Como descobrir o tipo de expansão adequado para o meu negócio?

Responder essas perguntas não é nada fácil e exige uma análise profunda do negócio. Essa avaliação contempla as vantagens e desvantagens de cada modelo e quais deles melhor se encaixa com a sua necessidade.

Vantagens e desvantagens das filiais

Vantagens:

  • Lojas pertencem a marca e criam patrimônio;
  • Maior lucratividade para a marca;
  • Controle absoluto sobre a expansão, gestão e operação das lojas.

Desvantagens ou desafios:

Vantagens e desvantagens das franquias

Vantagens:

  • Financiamento com capital de terceiros para expansão (franqueados);
  • Riscos menores para o franqueador;
  • Custos menores para expandir e manter as franquias.

Desvantagens ou desafios:

  • Dificuldades para encontrar o franqueado ideal;
  • Risco de descaracterização da marca;
  • Pode comprometer a qualidade dos produtos ou serviços, se não for bem gerenciado;
  • Problemas em integrar franqueados e falhas na comunicação, devido a distância das lojas.

Qual dessas opções tem mais vantagens do que desvantagens para o seu caso? Essa é a pergunta chave para decidir por qual modelo escolher para expandir o seu negócio observando as diferenças entre filial e franquia.

Caso você tenha pouco dinheiro para investir na expansão do negócio, por exemplo, as franquias podem ser boas opções. Já para os empreendedores que não abrem mão do controle absoluto da marca, as filiais são mais atrativas.

Pese cada um desses pontos positivos e negativos para descobrir a melhor opção para o seu caso.

Dicas para fazer a escolha certa na hora de expandir o negócio

Dicas para escolher entre filial e franquia

Para ajudá-lo a tomar essa decisão separamos algumas dicas úteis nessa hora. Veja a seguir o que influencia no modelo de expansão e como escolher o mais adequado para sua empresa. Confira!

Tipo de investimento

O primeiro ponto é o tipo de investimento financeiro que será usado para expandir o negócio: capital próprio ou de terceiros.

No caso das franquias você pode usar o investimento inicial dos franqueados para expandir o negócio. Uma filial, no entanto, exige que esses recursos venham da matriz ou de alguma linha de crédito.

Se a sua empresa não tem com arcar com os custos de expansão, trabalhar com franquias pode ser uma ótima opção. Além de o crescimento ser mais rápido, o risco da marca também diminui com esse tipo de investimento.

Abrir uma filial na cidade errada, por exemplo, poderia causar a falência de toda a rede. Já que as demais lojas precisariam tapar o buraco nas finanças deixado pela filial sem sucesso. No caso das franquias isso não acontece, pois cada loja é independente.

Diferencial da marca

Outro ponto a levar em conta é o diferencial da marca, ou seja, o que faria os franqueados escolherem o seu negócio para empreender? Outra reflexão igualmente importante é: qual o diferencial da marca para os clientes?

Para que a franquia tenha sucesso é preciso que ela se diferencie das demais empresas do mesmo segmento. Esse “algo a mais” pode ser um processo inovador de trabalho, produtos inéditos no mercado, ou ainda um negócio totalmente inovador.

Lembre-se que uma franquia precisa convencer os empreendedores a investirem na sua ideia, bem como os clientes a comprarem de você. Por isso, é um projeto um pouco mais desafiador que as filiais de uma empresa.

Portanto, se você não tem nenhum diferencial em mente e nada inovador, talvez seja melhor optar por uma filial da marca. A filial também é uma boa opção quando a marca já é bem conhecida no mercado, ou tem uma demanda latente em determinada região, pois terá mais facilidade em atrair clientes.

Margem de lucro

A margem de lucro do seu negócio é boa? Essa pergunta tem um motivo simples. Ao franquear a sua empresa você estará adicionando intermediários no negócio, os franqueados. Esses empreendedores precisam ter lucro garantido com a sua franquia, caso contrário o negócio está fadado ao fracasso.

Além do lucro dos franqueados em si, a margem de lucro deve permitir o pagamento dos fornecedores da rede e dos royalties à franqueadora. Em outras palavras, é preciso criar um negócio financeiramente sustentável e viável, para que todos saiam ganhando nessa história.

Exatamente por esse motivo, calcular adequadamente as suas margens de lucro é essencial para franquear qualquer negócio. Veja se o valor ganho em cada venda realmente é capaz de financiar toda a rede e arcar com esse crescimento de forma sadia.

O mesmo também se aplica para o caso das filiais. Como os custos fixos do negócio tendem a aumentar com a expansão, a margem precisa ser suficiente para cobrir todos os gastos e gerar lucro.

Apoio a rede

Outra coisa a levar em conta na questão filial e franquia é o apoio a rede. Será que a sua empresa tem a infraestrutura necessária para apoiar os franqueados? Como já vimos antes, o crescimento de uma franquia é mais rápido que no caso das filiais e o suporte da marca precisa acompanhar tal evolução.

Abrir franquias de modo desordenado e sem o acompanhamento pode descaracterizar a sua marca nessas lojas. Chegará um momento em que cada loja parecerá um negócio completamente diferente do outro e sem nenhuma conexão com a franqueadora.

Sendo assim, para quem pensa em franquear um negócio, é preciso considerar se possui condições de fornecer apoio a todos os franqueados. Caso essa infraestrutura ainda não exista, é preciso levar em conta os investimentos necessários para criá-la.

Gestão eficaz

Por último vem a gestão das filiais ou franquias. Nos dois casos é preciso garantir uma gestão eficaz de cada sede da empresa. Em uma filial é mais fácil fazer esse acompanhamento, já nas franquias pode ser mais desafiador.

A marca pode resolver esse problema unificando o sistema de gestão de toda a rede, independente se elas são franquias ou filiais. Assim todos falam a mesma língua, contam com as mesmas ferramentas e recebem o acompanhamento direto da marca.

Usar um sistema intranet unificado, por exemplo, pode ser determinante para o sucesso da empresa. A comunicação é concentrada em uma única ferramenta e o processo de gestão é facilitado, principalmente para o caso da administração a distância.

E aí, ficou clara a diferença entre filial e franquia? Já sabe qual é a melhor opção para sua empresa? Analise cada um desses pontos e escolha corretamente o modelo de expansão para o seu negócio.

Para receber outros conteúdos como esse em seu e-mail, registre-se na newsletter do blog. Receba em primeira mão dicas de produtividade, gestão, comunicação e muito mais.

Você quer o seu time mais produtivo?


Assine o blog e acompanhe nossos melhores artigos sobre comunicação interna, gestão, liderança e produtividade.