Blog Intranett

Blog do software de gestão de projetos, tarefas, arquivos, pessoas e comunicação.

Gestão

Política de Segurança da Informação: como montar na sua empresa

A informação está cada dia mais valorizada no cenário empresarial. Isso exige que as organizações garantam a confiabilidade, integridade e disponibilidade do conhecimento dentro e fora de suas instalações físicas.

Negligenciar a segurança dos dados de seu negócio pode custar muito caro e gerar prejuízos muito além de gastos financeiros.

A melhor forma de se precaver é adotar uma política de segurança da informação. Tal documento ajuda a manter os dados em sigilo e controlar como as informações são usadas dentro do negócio.

Veja neste post o que é a PSI, como funciona, suas vantagens e um passo a passo rápido e prático para montar a sua. Confira este conteúdo completo e elimine os riscos cibernéticos de dentro de sua empresa.

O que é a PSI?

A PSI, ou Política de Segurança da Informação, é um documento criado para defender o uso e distribuição das informações dentro de uma empresa.

Como a maioria dos negócios gera conhecimento e faz uso de dados em seu dia a dia, é extremamente importante que essas informações sejam mantidas em segurança. A política de TI deve cumprir esse papel dentro do seu negócio.

Nesse documento são apresentadas as formas como as informações serão gerenciadas dentro da empresa e outras regras importantes. O intuito é garantir a confidencialidade, integridade e disponibilidade dos dados.

Essa prática é regulamentada pela Norma ISO 27001, a qual orienta como a política deve ser criada e implementada dentro do negócio.

Como cada empresa possui suas particularidades, cada política de segurança deve ser criada sob medida. Isso porque, a utilização dos dados varia de organização para organização e a política de TI precisa acompanhar essa demanda.

Importância da segurança da informação nas empresas

Você já parou para pensar por que sua empresa precisa ter uma política de segurança da informação? Conhece os riscos de não contar com essa proteção diária em seu negócio?

A verdade é que o mundo está cada vez mais conectado e digital. Essa facilidade de acesso trouxe inúmeras vantagens às empresas, mas também aumentaram os riscos.

Uma política de segurança de TI pretende contornar e evitar esses problemas, sem engessar ou burocratizar os processos internos.

Veja abaixo as principais vantagens de contar com uma gestão da informação eficaz e documentar sua estratégia em uma política.

Mantém as informações em sigilo

Os dados que a sua empresa gera devem ser mantidos em completo sigilo, com o risco de causarem sérios danos à imagem do negócio.

O mundo empresarial está repleto de escândalos sobre vazamentos de dados sigilosos e comprometimento de figuras importantes. Com certeza não é algo que você queira experimentar dentro de sua empresa.

Imagine que Ricardo trabalha em uma grande corporação, com sede em diversos países. Ele tem a responsabilidade sobre os dados de possíveis fusões da multinacional com outras marcas.

Digamos que ele tenha aberto um arquivo da empresa em seu computador pessoal, em casa. Sem que Ricardo saiba, sua rede estava infectada e o documento sigiloso vazou.

O planejamento de fusões da empresa em que trabalha foi divulgado na internet e a negociação fracassou. Este é apenas um exemplo, mas infelizmente há muita similaridade com fatos reais.

Se Ricardo tivesse sido orientando para não acessar os dados da empresa fora de seu ambiente de trabalho isso não teria acontecido. Esse procedimento pode e deve constar em sua política de segurança da informação.

Evita prejuízos financeiros

Uma pesquisa da PWC revelou que as empresas perdem até US$ 1 milhão em decorrência da falta de segurança da informação. O estudo levou em conta as organizações com faturamento entre 100 milhões e 1 bilhão de dólares anuais.

A margem de prejuízo financeiro considerável nas empresas de todo o mundo, alerta para os cuidados com a segurança da informação.

Um dos mais recentes casos de ataques cibernéticos foi o vírus WannaCry. O crypto-ransomware infectou 230 mil computadores Windows e teve sua difusão iniciada em maio de 2017.

Empresas de diversos setores foram afetadas e o ataque atingiu instituições financeiras, hospitais e até repartições públicas.

Como o vírus “sequestrava” os dados do usuário em troca de um resgate, estima-se que ocasionou milhares de dólares em prejuízos por todo o mundo.

A ameaça se propagou através de um anexo de email, reforçando ainda mais a necessidade da educação de seu time interno e das próprias empresas frente a esses perigos.

Uma política de segurança da informação ajuda a prevenir que esse tipo de situação aconteça através da falta de orientação dos usuários e também de prevenções mais elaboradas.

Previne ataques cibernéticos

No ano de 2016 foram mais de 647 mil ataques cibernéticos, de acordo com o CERTBR. No site do Centro de Estudos, Resposta e Tratamento de Incidentes de Segurança no Brasil, ainda é possível acompanhar a evolução desses ataques.

Veja na imagem abaixo como os incidentes de segurança vêm se comportando nos últimos anos:

Histórico de incidentes cibernéticos

O pior de tudo é que a negligencia do usuário e falhas internas são os maiores motivos desses ataques, de acordo com um estudo do Instituto Ponemon. Segundo os dados levantados, somente 39% dos colaboradores entrevistados disseram que tomam todos os cuidados necessários para proteger os dados corporativos.

Tais dados demonstram a importância de definir processos de controle e prevenção de ataques cibernéticos ou vazamento de informações. Quando a empresa conta com uma política de segurança da informação eficaz, o cenário é outro.

Desde que esse documento seja criado adequadamente e divulgado ao seu time interno, os riscos cibernéticos serão diminuídos em grande escala.

Aliás, conforme o gráfico acima, esses incidentes têm sido reduzidos ano após ano. Podemos concluir que a preparação das empresas para esse cenário perigoso, e o investimento em práticas de contenção, é um dos maiores motivos dessa queda.

Como implantar uma política de segurança da informação?

Agora que você já viu como esse documento é muito importante para sua empresa, o próximo passo é implantá-lo em seu negócio.

Acompanhe um rápido passo a passo para adotar a política de segurança da informação dentro da organização e evitar prejuízos. Confira!

1. Crie um comitê de segurança

A primeira coisa a fazer é criar um comitê de segurança dentro do negócio. Esse grupo deve ser composto pelo responsável da área de TI e líderes de cada setor do negócio.

O intuito é que essas pessoas colaborem com a criação da política de segurança da informação. Cada um deve orientar o profissional de TI nesse processo, dando pareceres de como o documento precisa ser montado para atender a todos os departamentos da empresa.

Isso vai ajudar a criar uma política correta, transparente e acessível para todos os funcionários. Pois, com esse feedback, é possível avaliar as necessidades específicas de cada grupo de colaboradores e atendê-los com a política a ser criada.

2. Classifique as informações

O segundo passo é classificar as informações do negócio com base em sua relevância, prioridade e valor. Em outras palavras, é definir o que precisa ser protegido e como será feito.

Conhecer os tipos de informações disponíveis em sua empresa ajuda a se precaver de ataques ou vazamentos. Além disso, esse estudo vai ajudar a definir a melhor forma de prevenção.

3. Faça a gestão de acessos

Qual a permissão que cada grupo de funcionários vai ter? O que colaboradores do RH precisam acessar para desempenharem sua função, por exemplo?

Essa etapa visa criar uma gestão de acessos, de modo que cada pessoa acesse apenas aquilo que a compete. Através disso, conseguimos evitar fofocas no trabalho, ruídos na comunicação e compartilhamento de dados sigilosos com pessoas não autorizadas.

Nesse ponto, a presença dos colaboradores responsáveis é muito importante. Afinal, ninguém melhor para dizer as necessidades de uma função do que aquele que a executa diariamente, não é mesmo?

4. Defina um plano de risco

Por melhor intencionada que seja a sua política de segurança da informação, ainda assim podem ocorrer imprevistos. Seja na falha de usuários, problemas no sistema ou qualquer outra coisa. Você precisa estar prevenido para possíveis contra tempos.

A política de segurança da informação de sua empresa precisa deixar claro como os problemas serão resolvidos. Também é importante frisar as penalidades que os infratores das regras estarão sujeitos.

Mais do que criar e implantar o documento, é preciso monitorá-lo com frequência. E a própria política precisa evidenciar as consequências ao descumprir as diretrizes desse documento.

Sendo assim, deixe claro como serão feitos os gerenciamentos de riscos e crises na área de TI de seu negócio. Como diz o velho ditado: “é melhor prevenir que remediar”!

5. Oriente seus colaboradores

O último passo da implementação da política de segurança de TI é orientar os colaboradores. Divulgue todos os termos do documento, faça treinamentos com novos e antigos funcionários, e assim por diante.

Veja também: Comunicação Interna: como sua empresa deve usar de forma eficaz.

Para que a política de TI funcione é preciso que todos a conheçam e cumpram os seus termos. Caso contrário, não passa de um documento perdido.

Garanta que todos os seus colaboradores conheçam a posição da empresa frente à segurança dos dados e previna-se. Também reveja a política de tempos em tempos e colha feedbakcs dos funcionários. É sempre bom atualizar os termos e garantir que tudo está funcionando como deveria.

Pronto para montar sua política de segurança da informação? Aplique esse passo a passo e proteja o seu negócio de imprevistos.

Para receber mais dicas de comunicação interna, gestão, liderança e produtividade, inscreva-se na nossa newsletter!

Deixe um Comentário